Saiba o que acontece com um carro de F1 no final de cada temporada

Carros em exibição a 10 anos estão prontos para entrar na pista, mesmo em 2023


Divulgação Mercedes
As instalações da Mercedes AMG F1 abrigam carros icônicos que deixaram sua marca no esporte. Os memoráveis carros dos pilotos da Mercedes, tanto do passado quanto do presente, como os de Lewis Hamilton, George Russell, Nico Rosberg e Valtteri Bottas, estão postos lado a lado. Todos os chassis utilizados são considerados como 'patrimônio' assim que completam sua última volta na temporada.

Todas as peças, desde o chassi até os parafusos, são incorporadas ao sistema de patrimônio da Mercedes. Elas são avaliadas para futuros projetos, montagens na fábrica, possíveis utilizações em carros mais antigos ou se não serão mais utilizadas. Tudo o que entra para o patrimônio é registrado, catalogado e armazenado em um local de fácil recuperação.

Anualmente, todos os carros passam por uma manutenção completa para garantir seu funcionamento perfeito. Carros que têm 10 anos de idade ainda estão prontos para entrar na pista, mesmo em 2023.

Inaugurado em 2016, o programa de herança da Mercedes abrange todos os carros de F1 produzidos desde 2010, do W01 ao W13. Não existe outro lugar no mundo onde se possa encontrar o modelo vencedor de Nico Rosberg na China em 2012, Lewis Hamilton na Hungria em 2013, Valtteri Bottas na Rússia em 2017 e George Russell no Brasil em 2022. Até mesmo o W03 de Michael Schumacher, da sua última conquista no pódio da F1 em Valência em 2012, está presente. Todos esses carros são considerados clássicos dentro da comunidade automobilística.

Porém, o foco não está apenas nos carros e nas peças. O programa também ressalta a importância de preservar as memórias e conquistas de cada época da equipe. Troféus, trajes de corrida, capacetes e até mesmo materiais de arquivo, como desenhos e fichas técnicas, são cuidadosamente mantidos para perpetuar a história da equipe.
Postagem Anterior Próxima Postagem